O processo de educação na fé vivido no Grupo de Jovens

A vida no grupo de jovens começa com um convite. Pode ser na porta da Igreja. Pode ser nas casas. Na escola. No CTG. No celular. O importante é o convite. O jovem é chamado a fazer um percurso, uma caminhada comunitária de crescimento e amadurecimento da sua fé. É a etapa da CONVOCAÇÃO.

Os primeiros encontros do grupo são decisivos. Se não cativar, se não vier de encontro aos interesses dos jovens, eles não retornarão. Precisam ser bem preparados e com uso de dinâmicas, para não ser monótono e cansativo. O início do grupo é a etapa da NUCLEAÇÃO.

Formado o grupo, inicia o processo de responder às perguntas que os próprios jovens vão formular, pois estas fazem parte de seu crescimento pessoal como seres humanos. É a etapa da INICIAÇÃO.

Quando decidiu participar do grupo, a grande preocupação do jovem é com ele mesmo. Ele olha para os outros e faz comparações. Não se sente seguro, tem medo de não ser aceito. A grande pergunta que ele faz é: “quem sou eu?” O grupo de jovem deve ser o lugar em que essa pergunta tenha pauta nos encontros. Pode ser feito encontros com o temas: “quem sou eu?”, “qualidades e defeitos”, “história dos pais” etc. Dessa forma, o grupo estará trabalhando a dimensão da personalização.

Na procura de sua própria identidade, o jovem percebe que é diferente. Começa a refletir sobre a existência do outro. A pergunta do jovem será: “quem é o outro?” É o momento de trabalhar no grupo a dimensão da integração. O grupo poderá trabalhar temas como “a importância do grupo”, “amizade”, “namoro”, “para que serve o grupo de jovens”...

A característica de um grupo de jovens é estar reunido como Igreja Jovem, discípulos de Jesus Cristo. No grupo, Jesus é apresentado como alguém próximo, amigo, companheiro, cujo Espírito Santo auxilia nas decisões importantes na vida do jovem, bem como as diversas crises que ele enfrenta. Maria é o modelo de fé e de seguimento. Esta é a dimensão da evangelização. Podem ser trabalhados os temas : “Quem é Jesus?” “Como ser discípulo de Jesus?” “O que é a Igreja?” “Qual a missão da Igreja?”. “Vocação como chamado de Deus”.

À medida que o grupo vai proporcionando experiências diversas, o jovem vai adquirindo capacidade de coordenar um encontro do grupo. Diante da exigência de preparar um encontro, programar uma viagem, um acampamento, as atividades do grupo durante o ano, vai se dando conta de que é preciso planejamento, então se põe a construir projetos tendo neles objetivos, metodologia, recursos e prazos. É a dimensão da capacitação.

A proposta de Jesus Cristo é o Reino de Deus. Compreendendo melhor a proposta do mestre Jesus, que é um mundo de irmão, onde a vida plena é um direito de justiça e a dominação e a exclusão se revela como um pecado contra o irmão e contra Deus, o jovem percebe que sua missão é continuar a missão de Jesus, “para que todos tenham vida”. Assim, o jovem e o grupo se empenham na atuação social com campanhas de alimentos, de agasalhos, até chegar ao discernimento de perguntar pela estrutura de pecado que gerou a desigualdade e a exclusão. É a dimensão da conscientização. No grupo, podem ser abordados os temas: “ecologia”, “meios de comunicação social”, “globalização”, “drogas”, “fé e vida”, “ensino social da igreja”.

Não somente os encontros, mas também gincanas, festas juninas, viagens, acampamentos, filmes, visita a outros grupos de jovens farão parte da vida do grupo.

O tempo de grupo o fará se integrar em um grupo de liturgia, auxiliar nas pastorais... haverá jovens dispostos a serem catequistas, missionários, até mesmo ministros extraordinários da eucaristia. Não somente na Igreja, mas a atuação do jovem é também na sociedade, dentro dos diversos meios de participação popular. É a etapa da MILITÂNCIA.

Na etapa da militância, o jovem perceberá o caminho percorrido e dará uma resposta definitiva ao seu projeto de vida, que deverá ser um tema de todo o processo de educação na fé, respondendo à pergunta: “o que Deus quer de mim? ” Tendo consciência do seu chamado, fará uma escolha vocacional definitiva. 


Pe. Eliseu Lucas de Oliveira 

Pároco da paróquia São Pedro Apóstolo de Ajuricaba

e Coordenador da Pastoral da Juventude

Publicada em 06/07/2017 às 11:29:08

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920