O Dia dos Padres

Artigo: O mês de agosto é especialmente dedicado as vocações. No dia 04, todos os anos, a liturgia faz a memória de São João Maria Vianey, o cura de Ars, que mesmo sendo apenas o padroeiro dos Párocos e dos Sacerdotes com Cura de Almas, se convencionou chamar de patrono dos presbíteros. Assim o dia 04 de agosto passou a ser o Dia dos Padres, e relacionado a isso, o primeiro final de semana é reservado para as orações e reflexão da vocação sacerdotal. 

Jean-Marie Baptiste Vianney nasceu no dia 8 de maio de 1786, na localidade de Dardilly, dez quilômetros ao noroeste da cidade de Lyon, França. Vianney só foi para a escola na adolescência, quando abriram na sua aldeia, uma escola que frequentou por dois anos apenas, porque tinha de trabalhar no campo. Foi quando aprendeu a língua francesa, pois em sua casa se falava um dialeto regional. Para seguir a vida religiosa, teve de enfrentar muita oposição de seu pai. Mas com a ajuda do pároco, aos vinte anos de idade ele foi para o Seminário de Écully, onde surgiram os obstáculos por causa de sua falta de instrução. Era considerado um rude camponês, que não tinha inteligência suficiente para acompanhar os outros seminaristas, especialmente de filosofia e teologia. Mesmo assim foi ordenado padre em 1815, com 30 anos de idade, e só três anos depois foi designado vigário geral na cidade de Ars-sur-Formans. O Cura de Ars, como era chamado, nunca pôde parar para descansar. Morreu serenamente, consumido pela fadiga, na noite de 04 de agosto de 1859, aos setenta e três anos de idade. Já era venerado como santo, muito antes de ser canonizado pelo papa Pio XI em 1925, que ainda, por Carta Apostólica datada de 20 de abril de 1929, o proclamou Padroeiro dos Párocos e dos Sacerdotes que têm Cura de Almas no mundo todo.

Na nossa Diocese de Cruz Alta, já é tradicional o encontro de confraternização dos padres, alusivo a este dia. Este evento acorre geralmente numa segunda-feira, próximo ao dia do “Cura D’Ars”, numa paróquia e comunidade determinada, que acolhe, patrocina e participa ativamente desta confraternização. Neste ano de 2017, este encontro está previsto para o dia 07/08, quando mais uma vez os padres se encontram para rezar, confraternizar, renovar a alegria, a disposição e o entusiasmo de viver a sua vocação.

O testemunho de humildade e simplicidade do São João Maria Vianey,  que será destacado neste encontro, deve ser determinante para todos os presbíteros, e é o que o Papa Francisco pede nos seus pronunciamentos dirigidos aos padres, dando ele mesmo o seu testemunho pessoal. O dia dos padres será, portanto, mais uma oportunidade para que os presbíteros da nossa diocese possam espelhar-se na simpática figura do “Cura D’Ars” e renovar sua fidelidade a vocação vivida no desapego da humildade, vencendo as tentações de ostentar o luxo e o esnobismo, que o mundo de hoje apresenta com tanta insistência.  

A celebração do “Dia do Padre” é, sem dúvida, um momento de piedade, bonito, alegre, festivo e contagiante, que pode servir de motivação para que muitos jovens possam simpatizar-se com a vocação sacerdotal como um ideal a ser buscado. A figura simpática, humilde e simples do “Cura D’Ars”, cativará os seus corações, e este dia será também um forte momento de oração para que, por intercessão do São João Maria Vianey, Deus nos conceda as vocações, tão necessárias para a nossa Diocese.

Na Oração pelas Vocações da nossa Diocese, rezamos para que “os padres encontrem incentivo em suas comunidades”, o que certamente acontece em todas as paróquias, com um sonoro ‘Parabéns aos Padres’, principalmente neste momento especial, em que unimos os nossos corações, para que “surjam religiosos, religiosas e padres de acordo com as necessidades da nossa diocese”. Assim este “Dia do Padre” será uma verdadeira benção para todos. 


Por Pe. Flávio Antônio Rohr

Pároco da paróquia Santa Bárbara

de Santa Bárbara do Sul e

Coordenador da Pastoral Presbiteral

Publicada em 04/08/2017 às 17:54:37

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920