Sociedade Pós-Moderna (V)

Ética e Moral


Quando se fala em ética, refere-se aos bons costumes, bons valores, válidos para todos os seres humanos, como amor, paz, bondade e tolerância, entre outros tantos. Costume em grego é “Éthos” (ética) e em latim significa “mores” (moral). Talvez esteja aí a origem da costumeira confusão que se faz sobre moral e ética.

É natural que isso aconteça na praxe cotidiana, pois ética e moral versam sobre ideias intimamente relacionadas, de difícil distinção, como os maiores estudiosos do assunto reconhecem. Também no plano da filosofia elas não raro se confundem, chegando a ser empregadas como sinônimos, mesmo porque, do ponto de vista etimológico, tanto em grego como em latim, ambas provém da palavra costume, que indica as diretrizes de conduta a serem seguidas.

O dicionário de filosofia define ética por “ciência da moral, ou ciência do comportamento moral dos homens em sociedade; um conjunto de normas de comportamento e formas de vida através do qual o homem tende a realizar o bem”. Já o Dicionário de Filosofia  define moral: “É um sistema de normas, princípios e valores, segundo o qual são regulamentadas as relações mútuas entre os indivíduos ou entre estes e a comunidade, de tal maneira que estas normas, dotadas de um caráter histórico e social, sejam acatadas livre e conscientemente, por uma convicção íntima e não de uma maneira mecânica, externa ou impessoal; ainda, conjunto de regras de conduta consideradas como válidas, quer de modo absoluto para qualquer tempo ou lugar, quer para grupo ou pessoa determinada”

Pois a ética tem por fim determinar os valores fundantes do comportamento humano, ao passo que a moral se referiria mais à posição subjetiva perante esses valores.Cabe ponderar que a palavra ética veio, aos poucos, adquirindo sentido genérico bem mais extenso do que lhe foi atribuído por Aristóteles. Assim como os problemas teóricos morais não se identificam com os problemas práticos, embora estejam estritamente relacionados, também não se pode confundir a ética e a moral. A ética não cria a moral. 

A ética encerra a teoria ou ciência do comportamento moral dos homens em sociedade. Ou seja, é ciência de uma forma específica de comportamento humano. Como ciência, a ética parte de certo tipo de fatos visando descobrir os princípios gerais. 

Assim se afirma que, caso se fale duma ética científica, não se diz o mesmo da moral. Não existe uma moral científica, mas existe – ou pode existir – um conhecimento da moral que pode ser científico. A ética não é a moral e portanto não pode ser reduzida a um conjunto de normas e prescrições; sua missão é explicar a moral efetiva e neste sentido, pode influir na própria moral.

Diante dos dilemas da vida, há a tendência de conduzir as ações de forma quase que instintiva, automática, fazendo uso de alguma “teoria” presente em nosso meio social, de normas que se julga mais adequadas de serem cumpridas, por terem sido aceitas intimamente e reconhecidas como válidas e obrigatórias. Usam-se normas, praticam-se determinados atos e, muitas vezes, serve-se de determinados argumentos para tomar decisões, justificar ações e sentir-se dentro da normalidade. (Continuaremos na próxima edição)


Publicada em 30/12/2014 às 08:41:48

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920