Dica de Liturgia: O uso de microfones, e instrumentos musicais na Liturgia

Poderíamos iniciar com uma pergunta: Para entoar e sustentar os cantos na liturgia devemos usar microfones?  Podemos ter uma resposta óbvia, mas antes devemos observar as equipes de músicos e cantores que animam nossas celebrações, aí teremos uma resposta melhor.

Sem generalizar, confunde-se animação do canto litúrgico com animação “show”. Sem este dar-se conta adota esta prática, da verdadeira função do canto litúrgico e prejudica a participação da Assembleia. Cada cantor quer ter um microfone, isto não é o problema, mas o fato das pessoas permanecerem usando os microfones, enquanto a Assembleia também canta. Ou seja, o microfone deve servir para animar a assembleia, não para abafar, esconder, suprimir vozes do povo santo que se reúne para cantar as maravilhas do Senhor. O ideal é que, o grupo de cantores deva APENAS iniciar o canto, e quando o povo cantar, afastar-se do microfone para que apareça a voz da assembleia.

O mesmo vale para os instrumentos musicais, alguns fazem um barulho (ruído), excessivo que perturba e tira a calma e a serenidade indispensáveis para  que a assembleia possa ouvir a própria voz e tenha momentos de silêncio que favoreçam a escuta da Palavra e o louvor que brota do nosso coração agradecido. Não queremos de forma alguma desconsiderar a boa vontade , o empenho e a solicitude de tantos animadores de cantos, músicos e instrumentistas de nossas comunidades. Eles são a bênção para estas. Queremos alertar para certos exageros e apontar ações para a função específica deste ministério.

Também queremos frisar: “Quem faz a leitura deve saber onde encontrar o texto no lecionário, e como usar o microfone”. Para isto uma dica: leia o texto, entenda o contexto em que acontece, faça a leitura em voz alta, e o mais importante chegue no mínimo 30 minutos antes e teste o microfone, altura em deve ficar, qual o tom de voz .

O Concílio Vaticano II prescreve que os ajudantes, leitores, animadores e cantores “sejam cuidadosamente imbuídos do espírito litúrgico e preparados para executar as suas partes, perfeita e ordenadamente.” (SC 29)

A liturgia é a ação do povo de Deus reunido. Todos os ministérios exercidos ali têm por finalidade levar a assembleia à participação ativa, plena e frutuosa. Todos são atores. Nenhum ministério seja exercido “para”, mas com “a assembleia.”


(Fonte: CNBB,SC, Missal Romano, Pe. Gustavo Hass, Pe.Ariovaldo)


Publicada em 21/07/2015 às 06:42:39

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920