Cremos na família

De 09 a 15 de agosto celebramos a Semana Nacional da Família. Ela está ligada à celebração do dia dos pais. O tema é “O amor é a nossa missão: a família plenamente viva.” Neste ano, além desta semana, a família ainda será objeto de estudos, discussões e encaminhamentos no Sínodo dos Bispos, que acontecerá de 04 a 25 outubro próximo, em Roma. O Sínodo refletirá sobre"A vocação e a missão da família na Igreja” será tema do Sínodo dos Bispos. Não podia haver assunto mais oportuno e, ao mesmo tempo, delicado, que merece muita reflexão e discernimento.

Um olhar positivo

Nós cremos na família. Continuamos a crer, não obstante todas as dificuldades que esta instituição milenar enfrenta hoje. Temos, a partir da fé em Jesus Cristo, que viveu a maior parte de sua vida com sua família, em Nazaré, um olhar positivo e propositivo. Não aceitamos passivos a uma mentalidade difusa que dispensa as relações familiares na educação, na formação da personalidade e, também, na transmissão da fé. Cremos que a família é um dos tesouros mais importantes da humanidade. Nenhuma instituição social consegue substituir o lugar único que uma mãe e um pai tem na educação dos filhos: acolhida, formação da personalidade, valores e inserção social. Uma personalidade sadia se funda no sentir-se acolhido e amado e, por isso, capaz de amar e servir. Esta é uma insubstituível missão dos pais. Quem ama é exigente, sabe motivar, mas também corrigir e orientar. Em suma, os filhos têm direito de ter uma família. Têm direito de ter o aconchego materno e a firmeza paterna.

Um olhar compassivo e acolhedor

Nem sempre este ideal familiar é alcançado, por muitas razões. Continuamos a crer na família, mesmo quando ela se apresenta ferida e desacreditada. Quanta dor e sofrimento, frutos de relacionamentos frustrados, pela falta de uma adequada preparação, da tolerância e da coragem de enfrentar os desafios. Somam-se, ainda, as dores oriundas da pobreza, do desemprego, da migração, da violência ou de doenças. O cristão é chamado a ter o olhar compassivo de Jesus Cristo, que antes de julgar se faz próximo e acolhe. 

Uma família cristã

A família, como patrimônio fundamental da sociedade humana, encontra na fé cristã seu lugar e a bênção de Deus. Entre batizados, o matrimônio foi elevado por Cristo Senhor à dignidade de sacramento. Isto significa que o amor humano que une um homem e uma mulher são um sinal do fiel amor de Cristo por nós. O casal diz, um para o outro, amo-te do mesmo modo como Cristo nos ama. Por isso, continuamos a apresentar o valor e a necessidade do sacramento do matrimônio: a graça do sacramento aperfeiçoa assim o amor humano dos esposos, reafirma sua unidade indissolúvel, lhes dá forças para cumprirem a sua missão e os santifica. Assim fundada no sacramento, terá a base para poder edificar a “igreja doméstica” e, pelo testemunho e educação, transmitir a fé cristã aos filhos. 

O dom da paternidade

Ser pai é uma grande graça. O dom da paternidade fala da missão própria do pai no ambiente familiar, na reciprocidade e complementariedade com a missão da mãe. Em sua catequese do dia 28 de janeiro deste ano, o Papa Francisco recordou: “a qualidade educativa da presença paterna é tanto mais necessária quanto a obrigação do pai de estar distante de casa pelo trabalho.” Parabéns, pais, pelo seu dia! Deus Pai, fonte de toda vida, os abençoe em sua bela missão.

Dom Adelar Baruffi

Bispo de Cruz Alta


Publicada em 13/08/2015 às 08:41:52

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920