Vocação para a família

Falar sobre vocação, é um assunto que mexe com o que o ser humano tem de mais subjetivo, é trazer a essência humana para fora, é deixar aflorar o que de mais complexo e ao mesmo tempo de mais simples existe  dentro de cada um.

Entre as inúmeras vocações que fazem parte da vida dos homens, queremos falar um pouco sobre a vocação pela família.

Acreditando que a família é a instituição mais importante na formação das crianças e dos jovens, sendo a grande ou maior promotora de desenvolvimento humano, as crianças e jovens precisam de pais que sejam os alicerces na construção e  no desenvolvimento moral, intelectual, ético e espiritual de seu ser.

A vocação para a família exige portanto o desejo, desejo de viver o amor e a comunhão. É na família que devemos aprender a amar, a partilhar, a nos sacrificar pelo outro, a respeitar as diferenças , a exercermos nossos papéis de pais, filhos, irmãos, amigos, … é nela que adquirimos as habilidades necessáias para enfrentar a vida, vivenciar costumes, seguir normas e leis.

A partir do amor – amor a Deus e ao próximo, surge o valor a vida e, desses dois valores desencadeiam  uma infinidade de valores que vão se desenvolvendo, como: a saúde, a educação, a responsabilidade, o respeito, o trabalho entre tantos outros e consquentemente vai se formando  a vocação individual de cada um o que nos faz perceber que a vocação para a família passa a se desenvolver de forma  natural e que a família é a primeira sociedade de convivência, é a grande formadora de valores humanos e cristãos.

Diante de tudo isto, nos deparamos com um grande problema. Como estar preparado para todas estas exigências da vocação para a família, quando o mundo vive  uma crise cultural profunda? 

Como sugestões de leituras e esclarecimentos deixamos as seguintes dicas:

No Documento Evangelii Gaudium” “do Papa Francisco, no capítulo II, inúmeras orientações e esclarecimentos sobre a Crise que envolve o contexto em que temos de viver e agir.

Também no Documento 100, Comunidade de Comunidades,  temos importantíssimas orientações que precisam ser estudadas e vivenciadas.

Documento de Aparecida, destina o capítulo IX A família,  pessoas e  vida. 

Concluímos dizendo que exercer a vocação para a família não é nada fácil e exige que se tenha além do desejo, que mencionamos inicialmente, muita determinação, perseverança, força de vontade, confiança, estudo, diálogo, fé e infinita capacidade de doação.

Gerson e Sueli Telocken


Publicada em 13/08/2015 às 09:15:19

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920