Catequista: a nobre missão de educador da fé

No dia 30 de agosto celebramos o Dia do Catequista. Ao concluirmos o grande Encontro Diocesano de Catequistas, no último dia 08 de agosto, em Ibirubá, confirmamos nosso compromisso com uma catequese como “Caminho de iniciação à vida cristã.” Éramos mais de mil, entre catequistas, padres, religiosas e seminaristas. Todos saímos do encontro com esta convicção: nossa catequese deve preparar não somente para a celebração dos sacramentos da Eucaristia e Crisma, mas deve ajudar a formar discípulos de Jesus Cristo! 

Um caminho que conduz ao encontro com Jesus Cristo 

Iniciar um cristão batizado na fé é, em primeiro lugar, apresentar-lhe Jesus Cristo. Como fez aos dois discípulos que o seguiam, Jesus diz: “Vinde e vede” (Jo 1, 39). Encontrar-se com Ele, ouvir a sua Palavra, deixar-se contagiar pelo seu jeito de ser, apaixonar-se pelo projeto do Reino e caminhar até que se forme em cada batizado “os mesmos sentimentos que havia em Jesus Cristo” ( Fl 2,5). “Jesus convida a nos encontrar com Ele e a que nos vinculemos estreitamente a Ele, porque é a fonte da vida (cf. Jo 15,1-5) e só Ele tem palavras de vida eterna (cf. Jo 6,68)” (DAp 131). O encontro com Jesus Cristo não é um mero conhecimento intelectual de um personagem do passado, mas a certeza da companhia daquele que está vivo hoje e, como aos discípulos de Emaús, acompanha atenta e discretamente nosso caminhar, revela-nos a Escritura que “aquece o nosso coração” (cf. Lc 24, 32), nos alimenta com o Pão da Vida e nos envia em missão (cf. Mt 28, 16-20). Enfim, o encontro com Cristo, traz alegria e enche o coração de vida (cf. EG 1) e suscita uma resposta de fé que, desde dentro, compromete a vida toda, dando-lhe “um novo horizonte e, assim, o rumo decisivo” (DCE 1). “A admiração pela pessoa de Jesus, seu chamado e seu olhar de amor despertam um resposta consciente e livre desde o mais íntimo do coração do discípulo.” (DAp 136). 

A Palavra e a comunidade de fé 

Este encontro com Cristo vivo se dá pela sua Palavra. Ao abrir, ouvir, meditar e rezar a Palavra, revela-se o “rosto” de Cristo e o coração misericordioso de Deus. E nele encontramos respostas para as mais importantes perguntas que todo o ser humano se faz, pois “Cristo manifesta plenamente o homem ao próprio homem e lhe descobre a sua altíssima vocação.” (GS 22). Esta catequese se dá pela Leitura Orante da Palavra de Deus, um método que nos possibilita um diálogo orante com Deus e com o mundo, por meio de sua Palavra. A comunidade, a Igreja, é “a casa de iniciação à vida cristã”, o lugar privilegiado deste caminho de fé. A Igreja, mãe que gera seus filhos pelo batismo, deve acolhê-los e educá-los na fé. 

O ministério do catequista 

Que belo e exigente ministério exerce o catequista! Gosto de compreendê-lo com a imagem da mãe que toma o filho pela mão e o conduz, até que possa caminhar por si. O catequista toma pela mão os catequizandos e, em nome de toda comunidade, os acompanha num trecho do caminho, até que tenham condições de viver a fé batismal, confirmada no sacramento da Crisma. Não é um professor que ensina teorias, é um educador da fé, que faz a Palavra ecoar. Não realiza aulas, mas encontros de fé e vida. Ele também se coloca no caminho do seguimento de Jesus Cristo e, por causa dele, se faz servidor. 

Parabéns catequistas! Deus os abençoe em sua nobre missão. 

Dom Adelar Baruffi 

Bispo de Cruz Alta

Publicada em 28/08/2015 às 07:50:00

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920