Sair de si ao encontro do outro é o caminho cristão


Dom Adelar Baruffi

Bispo de Cruz Alta

 

É belo pensar a vida humana como um caminho. Do nascerà passagem para a vida eterna, somos caminhantes. E vamos aprendendo acaminhar. É uma construção pessoal e coletiva. Um dos exercícios mais difíceispara cada um de nós é o caminho de sair de nós mesmos para os outros. É o êxodode uma vida enclausurada no interesse próprio para uma vida que se deixa afetarpelo outro, seja na alegria ou na dor. Chamamos a esta capacidade de compaixão.

Superar a indiferença

Umadas grandes dificuldades humanas de nosso tempo é a indiferença e aquilo que oPapa Francisco chamou de “autorreferencialidade” ou “consciência isolada”.Olhar o mundo e a vida a partir de si mesmo. Ignorar o que se passa ao redor. Éo império do individualismo e subjetivismo. Minha vida, meus valores, meuprojeto, minhas preocupações. Esta é uma vida triste! Disse-nos o PapaFrancisco: “Quando a vida interior fecha-se nos próprios interesses, deixa dehaver espaço para os outros, já não entram os pobres, já não se ouve a voz deDeus, já não se goza da doce alegria do seu amor, nem fervilha o entusiasmo defazer o bem.” (EG 2).

Maso que me move a sair e ir ao encontro do outro? A Filosofia diria que é o“rosto do outro” (E. Levinas) que me interpela, questiona, inquieta e move aagir. A Psicologia nos ensina que aprendemos a amar à medida que somosacolhidos e amados. A Teologia nos apresenta Deus, que sai de si e vemconstantemente ao encontro do ser humano, nos visita, nos ama. Acreditamos quea acolhida de Deus que nos visita nos move a sair de nos mesmos e irmos aoencontro do outro e oferecer este amor. Diz S. Paulo, “o amor de Cristo nosimpele” (2Cor 5,14). Isto porque fazemos a experiência da gratuidade. “Sealguém acolheu este amor que lhe devolve o sentido da vida, como é que pode contero desejo de o comunicar aos outros?” (EG 8), nos diz o Papa.

Jesus Cristo compassivo

Olhemosa vida e os ensinamentos de Jesus Cristo e veremos que sua vida foidescentrada: voltada para o Pai e o Reino de Deus. Por causa deles, pela paixãoque teve pelo Reino, compadeceu-se dos sofredores, amou os excluídos, curou osdoentes, mostrou a exemplaridade do Bom Samaritano, resumiu todo seuensinamento no serviço, no lava-pés. Exemplificou com o símbolo do grão detrigo, que ao cair na terra morre para poder dar fruto (cf. Jo 12, 24), falandode si mesmo, de sua morte na cruz. Jesus, que nos revela o verdadeiro rosto doser humano, mostrou-nos que nas relações humanas o outro tem precedência sobreo eu.

Assim,o ser humano alcança a tão almejada felicidade. Nunca buscando-a em primeirolugar. Ela virá como consequência de uma vida feita serviço, amor aos outros.Ainda as palavras de Jesus: “quem perder a sua vida por mim, a encontrará” (Mc8,35).

Publicada em 11/09/2015 às 15:28:39

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920