Qual é a minha comunidade?

       É possível ser cristão e não sentir-se vinculado a umacomunidade de fé? Dentre as várias formas de agregar as pessoas, de maneirareal ou virtual, existe aquela ligada à fé que professamos. Ela temcaracterísticas próprias. É a comunidade dos seguidores de Jesus Cristo. “Apresença do Espírito Santo garante que a comunidade cristã não seja reduzida auma realidade sociológica ou psicológica, como se fosse apenas um grupo que sereúne para atender às suas necessidades ou para fazer o bem.” (CNBB, Comunidade de Comunidades, uma nova paróquia,n.152). A comunidade cristã é uma realidade que tem sua fonte, seu modelo e suameta da Santíssima Trindade. Então, sem uma comunidade não há como viver aexperiência cristã, pois estamos pelo Batismo e pela Eucaristia reunidos,congregados, pela comunhão que todos estabelecemos com Cristo. A “comunidade defiéis indica a união, a partir da fé, daqueles que são batizados e estão emplena comunhão com a Igreja” (CNBB, Comunidadede Comunidades, uma nova paróquia, n.172). Nossos vínculos comunitários sefundam em Deus e se expressam de vários modos: celebrações, acolhida, amizade,compaixão, colaboração, entre outros.

Comunidadecomo casa dos cristãos

            Quando nossas comunidades têm muitas estruturasorganizativas, com facilidades se tornam frias. Não conseguem acolher bem aspessoas. Assim, os fiéis têm mais dificuldade de dizer, com alegria, “esta é aminha comunidade”. Sentir a ligação, a pertença, como membro ativo ecolaborador. Por isso, a Igreja no Brasil está propondo que sejam constituídas“pequenas comunidades”, sem muita estrutura, mas com muita vivência, oração emissionariedade. Usa-se a expressão “casa dos cristãos”. “A ideia da comunidadecomo casa fornece o conceito de lar, ambiente de vida, referência e aconchegode todos que transitam pelas estradas da vida.” (CNBB, Comunidade de Comunidades, uma nova paróquia, n.178). Sugere umacomunidade mais acolhedora, mais próxima, mais misericordiosa. É precisopossibilitar a experiência dos cristãos sentirem-se “em casa” em sua comunidadee verem os demais membros como “irmãos e irmãs” da mesma família que formamosem Cristo.

Casada Palavra, da Eucaristia e da Caridade

            A comunidade cristã é, em primeiro lugar, a “casa daPalavra.” Em torno da Palavra os cristãos se reúnem. Por meio dela, escutam avoz de Deus que fala ao seu povo. Ela aquece o coração dos discípulos (cf. Lc24,32) e permite um contínuo encontro com Cristo vivo, que caminha conosco. É a“casa da Eucaristia”, pois a Palavra ilumina e a Eucaristia cria comunhão e nosenvia em missão. O refrão de um belo hino eucarístico resume bem: “O Pão daVida, a comunhão, nos une a Cristo e aos irmãos. E nos ensina a abrir as mãos,para partir, repartir o pão.” Mas, se faltar a caridade, não será umacomunidade cristã. É, também, a “casa da caridade”, dentro da comunidade e nasociedade, pois a vida cristã não resume nas relações internas da comunidade,mas, como um rio transborda suas águas e produz vida onde chega (cf. Ez 47,9).É a presença pública dos cristãos na sociedade, na promoção e defesa da vida,sobretudo dos mais sofredores.

            Qual é a minha comunidade? Superemos, aos poucos, a visãode comunidade como sociedade, ou clube, ou prestadora de serviços. Para ocristão, a comunidade é tão vital quanto a água para o peixe. É a casa dosirmãos e irmãs na fé!

Publicada em 25/09/2015 às 14:27:53

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920