A alegria pascal

Dom Adelar Baruffi

Bispo de Cruz Alta


O escritor francês, Georges Bernanos, disse: “O contrário de um povo cristão é um povo triste.” (Diário de um pároco de aldeia).O Evangelho é um anúncio alegre e é fonte de alegria! Nosso Papa Francisco insiste tanto e testemunha que “a alegria do evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Quantos se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento. Com Jesus Cristo, renasce sem cessar a alegria.” (EG 1). A espiritualidade pascal que estamos vivendo é carregada de alegria e da ousadia dos apóstolos no anúncio do Evangelho, fruto do Espírito Santo que foi enviado sobre eles.

Donde vem a alegria dos apóstolos e de todo cristão? A origem da alegria é o Ressuscitado. Suas aparições suscitaram a alegria: “estavam muito alegres e surpresos” (Lc 24,41), ao verem-No ressuscitado, “encheram-se de alegria” (Jo 20, 20).  Ao mesmo tempo, convidou os discípulos medrosos a superarem todo medo. “Não tenham medo” (Mt 28,5). Convidou-os a viverem alegres: “Alegrai-vos” (Mt 28,9).A sua mensagem e o seu seguimento é fonte de alegria: “Manifestei-vos estas coisas, para que esteja em vós a minha alegria, e a vossa alegria seja completa” (Jo 15, 11).  “A fonte da alegria é o renovado encontro pessoal com Jesus Cristo, do qual “nasce da certeza pessoal de, não obstante o contrário, sermos infinitamente amados.” (EG 6). Sim, infinitamente amados! A fé em Jesus Cristo é luz que ilumina toda nossa vida, oferece um sentido ao existir. Em Jesus Cristo encontramos a resposta às interrogações permanentes do ser humano: Que sou eu? Donde vim? Para aonde vou? A fé abre um caminho de esperança, lança o nosso olhar para frente e nos faz crer que vale a pena viver e lutar com todas nossas forças para que a vida e o bem, o Reino de Deus sejam construído no mundo. A Ressurreição de Cristo nos dá esta certeza que o mal não triunfará e que a vida tem a última palavra. E a força da Ressurreição de Cristo está presente e atuante na Igreja e no mundo. A vida cristã é alegre, positiva e propositiva!

A alegria do cristão não significa alienação dos males existentes no mundo e das cruzes, sofrimentos, problemas, doenças, injustiças, corrupção, desemprego... É um olhar que faz ir além e vislumbrar um mundo novo, prometido por Deus. O cristão não desanima de lutar, pois mesmo em meio aos sofrimentos a fé nos dá uma certeza: nada poderá atingir-nos em nosso núcleo pessoal, porque somos sustentados pelas mãos amorosas de Deus. Esta confiança tira nosso medo do futuro e nos dá paz interior.“O Senhor é meu pastor e nada me faltará” (Sl 23).

A alegria de ser cristão é a mesma de pertencer à sua Igreja. Nela fui acolhido. Nela nutro minha fé pela Palavra e a Eucaristia. Dela sou enviado a anunciar a Palavra e servir os mais pobres. Esta alegria de ser cristão deve ser comunicada pelo testemunho alegre de ser e servir. “O bem tende a comunicar-se.” (EG 9). Às vezes, apresentamos “desculpas e queixas, como se inúmeras condições fossem necessárias para ser possível a alegria”. (EG 7).Então, por que não viver na alegria?


Publicada em 07/04/2016 às 10:19:51

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920