Passos de um caminho

A catequese tem um caminho percorrido na diocese. Apenas recordo que as Normas Pastorais da Diocese de Cruz Alta de 2006 já incorporava o debate sobre catequese e liturgia, a necessidade de integração entre ambas; por isso uma catequese que integre os catequizandos na comunidade e os inicie na vida litúrgica. A partir disso sentimos a necessidade de encontrar subsídios que dessem suporte a esta proposta de catequese. Foi então que no caminho encontramos a Coleção Catequese com Leitura Orante elaborada pela equipe coordenada pelo, na época, Padre Leomar Brustolin, atualmente bispo auxiliar de Porto Alegre.

Algumas experiências foram iniciadas. Aos poucos mais paróquias foram aderindo a esta maneira de fazer catequese. Ao mesmo tempo buscava-se construir uma unidade na diocese. Esse passo foi dado com a chegada do nosso novo bispo, Dom Adelar Baruffi. Na equipe diocesana e depois no encontro com as coordenações paroquiais, com a concordância e o incentivo de Dom Adelar. Então tivemos o grande encontro diocesano de catequese em Ibirubá, com mais de mil pessoas entre catequistas, padres e demais lideranças das comunidades. 

Dom Leomar falou sobre a catequese como iniciação à vida cristã e com inspiração catecumenal bem como sobre o método da mesma: catequese com leitura orante. Foi um belo encontro, do qual todos e todas saíram animados. Neste encontro Dom Adelar confirmou as orientações que já tinham sido comunicadas às paróquias. 

Destacamos:

O método da leitura orante da Bíblia como o mais adequado para a catequese que a Igreja quer e que nós como diocese assumamos. Para auxiliar na realização dos encontros de catequese já está sendo adotada a Coleção Catequese com Leitura Orante. 

Todas as paróquias da diocese de Cruz Alta devem adotar essa mesma coleção a partir de 2016. 

Vincular a catequese ao Ano Litúrgico: Os Sacramentos da Primeira Comunhão e da Crisma sejam celebrados no Tempo Pascal. As etapas da catequese com os livros correspondentes iniciam e se concluem tendo como referência a festa do Pentecostes. 

No que se refere à idade, a referência é a Crisma com 13 anos. Então, o início da catequese se dá com 9 anos completados até 31 de março. 

Orientações para a liturgia da celebração do sacramento da Crisma já estão nas paróquias. 

II Jornada Estadual de Catequistas vai ser realizada dia 25 de setembro de 2016, no Gigantinho. Tema: A Palavra de Deus, fonte da catequese. Lema: A Palavra está perto de ti, em tua boca e em teu coração (Dt 30,11-14). Para a preparação será utilizado o Livreto nº 6 da Coleção: Catequese à luz do Diretório Nacional de Catequese. Também haverá uma camiseta.

Completamos com Orientações para uma ação pedagógico-pastoral no processo de Iniciação à vida cristã que constam no Itinerário Catequético da CNBB que também vêm de encontro às nossas buscas. esse subsídio também será objeto de estudo no momento oportuno. Eis as orientações:

Primeira Orientação:

Os interlocutores da Iniciação à 

Vida Cristã: por interlocutores compreendemos os catequizandos, os que já são batizados e os 

catecúmenos os que não são batizados. 

“A Iniciação à VidaCristã não está centrada somente nos não batizados convertidos que desejam ser cristãos através de um processo de iniciação, mas inclui também, principalmente 

entre nós, aqueles batizados onde não aconteceu uma completa Iniciação à Vida Cristã. 

Os sacramentos fazem parte de todo o processo de educação na fé, mas não são a finalidade última do processo. O que se deseja é que os interlocutores assumam as 'características’ próprias do discípulo-missionário: que tenha como centro a pessoa de Jesus Cristo, nosso Salvador e plenitude de nossa humanidade, fonte de toda maturidade humana e cristã”. 

Segunda Orientação: 

Comissão de Iniciação à Vida Cristã: toda a comunidade é responsável e todos os ministérios devem assumir para que se tenha uma compreensão comum do processo. Então, na Comissão, devem estar integrados o padre, a coordenação da catequese, catequese batismal, a pastoral litúrgica, coordenadores da juventude, etc.

Terceira Orientação: 

Os ministérios da Iniciação à Vida Cristã: todos os ministérios, leigos e ordenados, todos os serviços e atividades são convocados a participar deste processo, ainda que em diferentes níveis. Em primeiro lugar está “a comunidade eclesial como seio materno no qual nasce e se fortalece (...) a comunidade é responsável por todo o processo (...) todos os membros da comunidade dão uma contribuição fundamental (...). A Iniciação à Vida Cristã é algo do povo de Deus e interessa a todos os batizados”. Dentre os ministérios específicos destacamos: 

O ministério dos catequistas – os mesmos devem ter “um amor fraterno pelos que acompanham na fé (...) e são importantes para o desenvolvimento da comunidade (...). Os mesmos têm uma atuação litúrgica significativa, participam ativamente dos ritos da iniciação cristã, mesmo quando presididos pelos ministros ordenados. (...) o catequista é uma pessoa integrada no seu tempo e identificada com sua gente, tendo capacidade de compreender, analisar e criticar a realidade social, política e econômica à luz dos ensinamentos da Igreja”.

O ministério dos padrinhos/madrinhas deve ser escolhido entre os membros da comunidade cristã e têm a função de ajudar na preparação ao Sacramento do Batismo ou da Crisma e cuidar da perseverança na fé e na vida cristã de seu afilhado/afilhada.

O ministério da equipe das celebrações – conforme orienta do Diretório Nacional de Catequese, a catequese deve ser realizada em harmonia com o Ano Litúrgico. Os ritos da Iniciação à Vida Cristã devem estar integrados na liturgia da Igreja e não simples acréscimos às celebrações da comunidade. 

Este é o melhor jeito de introduzir os catecúmenos ou catequizandos na oração cristã, iniciar nos sinais litúrgicos e prepará-los para os sacramentos.

Quarta Orientação: 

Dimensão festiva no Itinerário Catequético: 

São diversos os momentos e os ritos festivos na Iniciação à Vida Cristã. Sobretudo os sacramentos devem ser uma celebração festiva. “Os sacramentos são a celebração da ação de Deus na vida e na história.

Através deles celebramos o amor de Deus, sua escolha, o perdão, a missão. Eles são compromissos firmados, motivos de muita alegria, de muita festa, que envolve a comunidade toda que se alegra com os novos membros, que renova a sua fé, sua esperança e os laços de amor entre seus membros. Os sacramentos, por si só, são uma celebração festiva, uma confraternização”.

Com essas reflexões e orientações esperamos dar esse passo importante na caminhada catequética em nossa diocese. Esse passo é dado na Festa de Pentecostes. Não temos dúvidas de que é o Espírito Santo que está inspirando esse caminho. O ano de 2016 marca o início de um novo caminho. Não tenhamos medo de avançar para as águas mais profundas.



Pe. João Bagolin

Vigário Geral da Diocese de Cruz Alta

Coordenador da Catequese

Pároco da paróquia Cristo Rei/Ijuí

Publicada em 22/04/2016 às 13:57:21

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920