Visita Pastoral

Dentre as várias atividades e responsabilidades que compete ao bispo em sua Diocese, uma delas tem lugar especial: a visita pastoral às paróquias e comunidades. Estou, nestes dias, realizando minha primeira visita pastoral, na Paróquia Nossa Senhora da Soledade, em Soledade. O projeto é visitar todas as 32 paróquias, dentro de três anos. Serão visitadas as mais de 500 comunidades católicas existentes. 

Trata-se de uma visita oficial e, ao mesmo tempo, muito cordial. Como tal, o mais importante são as pessoas que serão visitadas. O encontro com as pessoas é o centro da visita pastoral. Recordamos as palavras de Jesus, ao falar do Bom Pastor, que conhece as suas ovelhas e elas o conhecem (cf. Jo 10,14).“Este é o momento em que ele [o bispo] mais de perto exerce a favor do seu povo o ministério da palavra, da santificação e da guia pastoral, entrando em contato mais direto com as angústias e preocupações, as alegrias e as expectativas do povo, podendo dirigir a todos um convite à esperança. E aí, sobretudo, o Bispo tem o contato direto com as pessoas mais pobres, os idosos e os doentes. Assim realizada, a visita pastoral aparece como é: um sinal da presença do Senhor que visita o seu povo na paz.” (S. João Paulo II, Pastores Gregis, 46). 

Claro que o bispo visita as paróquias também noutras oportunidades, para reuniões, encaminhamentos pastorais e administrativos, festas, celebrações de crismas, entre outras. No entanto, a visita pastoral tem um caráter especial.Isto porque o bispo não irá para uma atividade específica, mas para visitar, para estar junto com seu povo. Ele conhecerá as comunidades. Ouvirá como está andando as atividades pastorais, o que está organizado e funcionando, quais as dificuldades que estão encontrando. Fará contato com as pastorais e movimentos que atuam nas paróquias. Conversará com as lideranças das comunidades. Conviverá, dialogará e rezará com os padres e religiosos(as). Celebrará com o povo. Também poderá falar, orientar. É missão do pastor orientar o seu rebanho “para verdes pastagens” (Sl 23, 2). Enfim, as pessoas poderão conhecer e conversar com o bispo.  O bispo tem o dever de visitar todas as paróquias, ao menos a cada cinco anos, preparando-se, assim, para a visita ao Papa, que é feita também a cada cinco anos, manifestando a comunhão com o Sucessor de Pedro e a unidade da Igreja. Ao bispo, como sucessor dos apóstolos, foi confiado o ministério do anúncio da Palavra. Deve confirmar seus fiéis na fé e ser o promotor da comunhão de toda Diocese.“Nada haja entre vós quem possa dividir-vos, mas uni-vos com o bispo e aos presbíteros como sinal e ensinamento de incorruptibilidade.” (Sto. Inácio de Antioquia).

A presença do pastor diocesano, com o Vigário Geral e o Coordenador de Pastoral, ajudará também para animar e fortalecer o caminho de evangelização que está sendo realizado. É nosso desejo encorajar todas as lideranças a acolher as orientações do Plano de Ação Evangelizadora da Diocese e o impulso missionário e misericordioso de nosso Papa Francisco. Queremos formar e fortalecer verdadeiras comunidades de fé. Estreitar os vínculos que nos unem a Cristo e aos irmãos. Ir ao encontro dos batizados afastados. Colocar sempre a Palavra e a Eucaristia como centro de nossos encontros. Fazer de todas as pastorais e movimentos um caminho de evangelização. Ser uma casa da caridade e da misericórdia, sair e ir ao encontro dos mais pobres e sofredores.

Dom Adelar Baruffi

Bispo de Cruz Alta


Publicada em 20/05/2016 às 13:26:49

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920