Santuário Diocesano Nossa Senhora de Fátima

 No dia 09 de outubro, por ocasião da 65º Romaria Diocesana de Nossa Senhora de Fátima, será lido o Decreto de Criação do Santuário Diocesano Nossa Senhora de Fátima. Neste dia, daremos abertura às celebrações do centenário das aparições da Virgem em Fátima e do Ano Nacional Mariano, que recorda os trezentos anos da devoção do povo brasileiro a Nossa Senhora Aparecida. Será a romaria diocesana do Ano Jubilar da Misericórdia, que propõe esta temática de aprofundamento e oração, desde os grupos de reflexão e a novena preparatória: Maria, Mãe da Misericórdia. Portanto, o Santuário está inserido num contexto eclesial cheio de significado.
 O majestoso e belo Monumento de Nossa Senhora de Fátima, em Cruz Alta, foi solenemente inaugurado no dia 12 de outubro de 1952. A imagem da Virgem está a 31 metros de altura e mede 6 metros. Do alto, contempla com o olhar materno toda a cidade, qual Mãe que cuida dos seus filhos. Em 1978 a Romaria assume um caráter diocesano, regional e estadual, precedida por uma novena celebrada na Catedral. Em 1982 foi construída a atual capela, simples, bem adequada ao estilo de vida de Maria. Esta mesma capela será elevada à categoria de santuário. No mesmo ano foi construído o altar, onde se celebra a eucaristia nas romarias. “Desde que o Monumento foi inaugurado, a devoção a Nossa Senhora de Fátima vem sempre aumentando. A longa caminhada da celebração e devoção das multidões que acorrem nas romarias e do grande número de visitantes comprovam que Nossa Senhora de Fátima já se tornou parte da vida deste povo.” (Claudino Antônio Albertoni, 2005, p.22). A devoção a Nossa Senhora de Fátima está enraizada na alma de nossos cristãos da Diocese. Isto é o mais importante. Não é somente algo humano, mas tem a ver com nossa fé. Maria é modelo de vida e, também, mãe e intercessora nossa. Quem não recorre à Mãe em suas necessidades? Sabemos que somos acolhidos por ela. Nem sempre nos é concedido o que desejaríamos, mas temos a certeza que sempre somos ouvidos e acolhidos.
A criação do Santuário vem acolher e reconhecer oficialmente a crescente devoção de nosso povo à Virgem de Fátima. O povo já escolheu este local como um lugar santo, sagrado. Por isso, agora a Diocese irá oficializar o que o povo já elegeu. Quem faz ser um santuário (lugar sagrado) é o povo, pela sua devoção.É a casa da Mãe Maria, onde seus filhos são sempre acolhidos. Mas é, também, a casa da misericórdia, a casa da acolhida e da escuta, a casa de oração, a casa do encontro dos irmãos de fé e, claro, a casa da Diocese. No Santuário “ofereçam-se aos fiéis meios de salvação mais abundantes, anunciando com diligência a Palavra de Deus, incentivando adequadamente a vida litúrgica, principalmente com a Eucaristia e a celebração da Penitência, e cultivando as formas aprovadas de piedade popular.” (Cân. 1234 §1). Assim, somos inseridos na “escola de Maria”, primeira cristã, modelo de discípula missionária, mãe da misericórdia, saúde dos doentes e tantos outros títulos que nosso povo lhe atribui.
 Este espaço sagrado, já consagrado pelos fiéis, manterá sua finalidade específica, que é de cunho espiritual e pastoral. Nele se conservará o histórico Monumento de Nossa Senhora de Fátima, ícone da devoção à Virgem de Fátima em nossa Diocese. Também, como vem acontecendo há tempo, as famílias podem encontrar um espaço de encontro e descanso.


Dom Adelar Baruffi
Bispo de Cruz Alta

Publicada em 29/09/2016 às 08:02:59

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920