São Francisco de Assis e a Experiência da Misericórdia

Artigo - A experiência da misericórdia em São Francisco de Assis deu-se a partir do coração, abrindo espaço para que a miséria do outro (leproso) habitasse dentro de seu coração. Fez jus ao que etimologicamente é a palavra misericórdia. De maneirapobre e humilde, o poverello, a partir dos rejeitados de seu tempo, com “seu exemplo e sua palavra” ,mostrou ao mundo que o amor e a misericórdia de Deus é maior que tudo e torna bem-aventurado “o homem que suporta o próximo segundo a sua fragilidade, naquilo que quereria ser suportado por ele” . Esta é a essência da lei para a formação da fraternidade universal e para a plena felicidade.
Nos últimos tempos de sua vida, São Francisco reconheceu, quando da escrita de seu Testamento, que um dos pontos altos de sua conversão foi praticar misericórdia para com os leprosos: “E o senhor me conduziu para o meio deles, e fiz misericórdia com eles” . Por graça do Senhor, começou a fazer penitência, quebrando barreiras, limites, preconceitos, até viver o amor para com quem antes lhe era repugnante, “demasiadamente amargo na visão” .
No encontro com os leprosos, com suas necessidades e suas dores, São Francisco descobriu “sua verdadeira identidade e projeto de vida” , contrariamente ao seu sonho juvenil de grandeza e riqueza – ser cavaleiro. Lentamente a pedagogia divina conduziu-lhe ao encontro de uma realidade inesperada, mostrando-lhe através da pessoa do leproso, como o ser humano é frágil. Se “Deus nos ama incondicionalmente, amemo-nos também uns aos outros” , pois não somos chamados a outra coisa senão a viver “no caminho do amor de Deus” . Trocar as ataduras, dar atenção, dar esperança para o futuro..., eis a missão cristã tão bem vivida pelo santo de Assis.
Com este óculos, vemos um Deus que é bom. É ternura, aconchego, refúgio, compaixão. Para São Francisco, deste modo, “seguir a doutrina e os vestígios de Nosso Senhor Jesus Cristo”  é deixar Deus ser Deus. E assim, que ohomem busque o Reino de Deus com todas as forças. Se errar, Deus continuará amando e torcendo para que um diavolte ao bom caminho.“Não haja no mundo Irmão que tenha pecado até não poder mais que, após ver os teus olhos, se afaste sem a tua misericórdia, se misericórdia buscar” .
“Que é o homem, Senhor, para vós?”  São Francisco possivelmente questionou-se inúmeras vezes sobre tal.  Vendo que as guerras, a ganância, a opulência, a violência, não construíam fraternidade, deu-se conta da pequenez humana. Desta forma, começou a olhar para Deus, reconhecendo-o como “princípio da misericórdia”, sinal de um recomeço e de um novo olhar para a humanidade. A prática foi na nova relação de irmandade com os seres humanos e com toda a Criação.
O padecimento alheio, seja qual for, convida-nos a um sair-de-si para encontrar-se com o próximo que pede ajuda. Em sintonia com o papa Francisco, fazer acontecer os direitos de “terra, teto e trabalho”  a quem necessita. Façamos, a valer, misericórdia já. “Felizes os misericordiosos, pois encontrarão misericórdia” . O tempo passa depressa e quando vermos, podemos nós também passar. Fazer misericórdia é, portanto, confiar-se a Deus e confiar os outros igualmente a Ele. Só Deus pode e tem direito de julgar e de perdoar. O homem pode e deve amar. Simbolizada sobremaneira em Jesus Cristo, a misericórdia divina “encheu o coração e a vida”  de São Francisco. Não foi um sentimento apenas piedoso, ritual e expiatório. Tornou-se prática cotidiana.

---

[1]Testamento de São Francisco de Assis, 2.

[1]Testamento de São Francisco de Assis, 1.

[1]CRÓCOLI, Aldir. A Herança de Francisco deAssis: Leitura de seu Testamento. Estef: 2015, Porto Alegre, p. 41.

[1]1Jo 2,21.

[1]ESSER, Caetano. Exortações de Franciscode Assis. Editorial Franciscana: Braga, 1976, p. 240.

[1]Regra não Bulada dos Frades Menores,1,1.

[1]Carta de São Francisco de Assis a um Ministro, 9.

[1]Salmo 143,3


Por Frei Cirineu Bonini da Luz,OFM, estudante do 1° ano de Teologia.


Publicada em 05/10/2016 às 16:54:24

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920