A liberdade religiosa e o ecumenismo

Artigo - A atual conjuntura de nosso país, marcada por intolerâncias e enfrentamentos, constantemente, embasados em posicionamentos religiosos, nos recorda a importância de que nossas crenças sejam instrumentos de diálogo, reconciliação de nossas diferenças e promoção da vida digna para todas e todos. A partir de nossas comunidades, nos sentimos desafiadas e desafiados a construir espaços e iniciativas que aproximem nossas igrejas e nos permita avançar nas diferentes formas de se viver o ecumenismo. Percebemos a necessidade de intensificarmos e ampliarmos nossa formação, seja no interior de nossas comunidades de fé, seja nas estruturas de governo e formação eclesiásticas.
Ecumenismo é a busca da unidade entre todas as igrejas cristãs. É um processo de entendimento que reconhece e respeita a diversidade entre as igrejas. O ecumenismo realiza trabalhos em conjunto para ajudar os necessitados e lutar por justiça. Realiza celebrações e orações pela causa da unidade dos cristãos e realiza estudos sobre as doutrinas das várias igrejas, em busca de métodos novos para tratar as divergências.
No Brasil o organismo mais importante do ecumenismo é o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC), fundada em novembro de 1982, em Porto Alegre - RS. Seus membros hoje são a Igreja Católica Apostólica Romana, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Igreja Presbiteriana Unida do Brasil e a Igreja Católica Ortodoxa Siriana do Brasil.
O termo ecumenismo teve origem no grego “oikoumene” que significava “o mundo civilizado”. Na Bíblia a palavra oikoumene é traduzida como “todo” e “universal”. O dia do Ecumenismo é comemorado anualmente em 21 de outubro, no Brasil. O Ecumenismo também é reconhecido como um momento de confraternização e desejo de paz na humanidade, abrangendo todos os campos do conhecimento com harmonia e respeito.
O dia da Reforma Protestante será celebrada em 2017.
A liberdade religiosa é uma área que interessa praticamente a todas as comunidades do país e do mundo. Garantir o direito de prestar culto é uma necessidade essencial do ser humano. Em função disso, existe um grande movimento de setores organizados no trabalho de conscientização, estudo e aprimoramento das legislações existentes no respeito ao exercício da fé de cada cidadão.
A data será celebrada por todos os membros das igrejas cristãs.O dia da Reforma Protestante é comemorado em 31 de outubro por ser esta a data em que o monge agostiniano Martinho Lutero, em 1517, anunciou uma proposta de reforma da doutrina católica em Wittenberg, na Alemanha. A proposta ficou popularmente conhecida como as 95 teses. Possamos estar em sintonia todos os cristãos, pela oração e pelas ações concretas por um mundo melhor, seja marcada esta data com a benção e a proteção do Deus Trino e a revelação em Jesus Cristo. Para que haja mais unidade e respeito na diversidade e liberdade religiosa.
Estamos convidados, desde já, para a celebração dos 500 anos da Reforma em 2017, momento este que o papa Francisco irá celebrar junto. Este é um momento muito especial de nos unirmos em oração pela unidade dos cristãos.“O Evangelho deve ser celebrado e comunicado às pessoas de nosso tempo para que o mundo creia que Deus deu a si mesmo à humanidade e nos chama à comunhão consigo e com sua Igreja. Nisto está o motivo de nossa alegria em nossa fé comum”, diz o prefácio do Relatório da Comissão Luterana – Católico – Romana para a Unidade: Do Conflito à Comunhão, publicado pela editora Sinodal e Edições CNBB em 2014. As comunidades de nossa diocese possam recordar nessa data a unidade na diversidade que celebra os 500 anos da Reforma.


Pe. Marcio Laufer
Referencial do Ecumenismo na Diocese de Cruz Alta

Publicada em 28/10/2016 às 08:45:33

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920