A Juventude e o seu despertar na fé

Vivemos, hoje, em uma sociedade moldada pelo capitalismo, pela mídia e induzida ao consumo desmedido, onde o "ter" vale mais do que o "ser". No meio de tudo isso estão os jovens, que estão, cada vez mais, buscando o seu lugar no mundo, se mostrando mais atuantes e preocupados com as questões sociais, políticas e, religiosas. Exemplo disso pode ser visto em nossas dioceses repleta de jovens que dedicam um tempo para cuidar, também, da sua espiritualidade.

Rodrigo Vieira Ribeiro, 30 anos, há 17 integra movimentos jovens na Diocese. Ele é um grande entusiasta dos movimentos. Assim como Andrinelli Kempf, 16 anos, que desde muito cedo teve despertada a vontade de servir. Dois jovens motivados pelo mesmo caminho de fé. Ambos fazem parte do Setor Juventude da Diocese de Cruz Alta. Setor que busca reunir e trabalhar com todos os carismas, movimentos, pastorais e serviços voltados para a juventude. 

Sim, a Juventude. A juventude que representa o futuro, mas que também está presente no agora, dando seu testemunho de fé, anunciando a boa nova. 

Na Diocese de Cruz Alta, atualmente, são aproximadamente 25 grupos, conforme levantamento feito pelo setor neste ano. Conforme o Pe. Tiago Adão Megier, Coordenador do Setor da Diocese de Cruz Alta, as atividades destes grupos envolvem desde o encontro em si, até a participação e organização de retiros, ajuda na liturgia das comunidades e programações das paróquias. Muitos deles auxiliam e realizam a confecção de tapetes na Festa de Corpus Christi. 

Segundo o padre, o setor juventude quer ser um espaço de partilha de experiências, onde se partilha a vida dos diferentes grupos e movimentos de nossa Igreja sem tirar o protagonismo dos jovens. Trata-se de uma aproximação que gera um acompanhamento. “O objetivo é ser um espaço de formação e de aprofundamento da realidade juventude, a partir de alguns documentos que tratam do tema juventude, por exemplo: Documento 85 da CNBB. Penso que o grande objetivo é caminhar com, ser parceiro da caminhada dos jovens”, destaca.

Para o padre Tiago, a dimensão religiosa é um dos elementos da Formação integral do ser humano. Assim como a dimensão psico-afetiva, a dimensão psico-social, e a dimensão sócio-político-ecológica. Todas elas precisam estar em sintonia para que a pessoa se desenvolva plenamente. O envolvimento do jovem na igreja deve ser esse despertar para essas dimensões e o envolvimento na missão, com isso ele se desenvolve e amadurece no seu processo de formação.

O amor por Cristo é a grande motivação

“O amor por Cristo e pela Igreja sempre foi, para mim, a grande motivação”, diz Andrinelli Kempf, hoje comunicadora do Setor Juventude. Para ela, que também integra outras pastorais: “ver jovens fazendo e seguindo um caminho lindo, onde lutar por um mesmo ideal que é Cristo é prioridade e espalhar a "boa nova" do Reino, é simplesmente emocionante e encantador”.                        

Sua vontade de participar das atividades na Igreja despertou muito cedo, quando ainda era uma criança e sente-se realizada pelo que faz. “Meu desejo é que, a cada dia possamos evangelizar mais e mais jovens à luz do Evangelho, para que assim, eles se tornem cada vez mais fortes e vivos na Palavra de Deus, com uma fé e espírito renovados para que o encontro com Cristo seja uma experiência transformadora para o início de uma caminhada significativa e especial na vida em comunidade.     

À serviço da juventude, da igreja e do Reino de Deus

Para Rodrigo Vieira, ainda existe por parte de alguns jovens uma visão antiga no que se relaciona a Igreja. “Há um certo preconceito, em relação a uma participação mais ativa em movimentos e grupos de jovens, uns dizem “ a igreja é para velhos”, ou ainda “não vou em grupo de jovens porque lá vocês só rezam”, dentre tantos outros rótulos. Mas percebemos que essa visão errônea é bem menor do que há 10 anos. Isso, na minha concepção, se deve a uma abertura maior que a igreja vem dando ao protagonismo jovem”, destaca

Rodrigo cita a Juventude da Diocese de Cruz Alta como sendo muito atuante “podemos dizer, com grande alegria, que a juventude é muito atuante tanto nas questões de participação nas comunidades como na luta social e política. Atendendo desta forma ao chamado da igreja, de sermos uma igreja em saída e missionária”.

Rodrigo começou a participar de grupos de jovens aos 13 anos. Hoje, com 17 anos de caminhada na evangelização da Juventude, é um dos articuladores do Setor Juventude. “Iniciei participando do grupo de jovens ‘Porque Ele Vive?’ na Catedral, e um tempo depois participei do retiro do Movimento dos 72 Peregrinos (26º Encontro), movimento o qual tive alegria de coordenar alguns encontros. Em 2009 a convite do grupo executivo Diocesano do Cursilho fui convidado a participar do Retiro de 3 em Santa Maria, a fim de conhecer o funcionamento e estrutura para futuramente instalar em nossa dioceses, o que ocorreu em 2013 com o apoio da Diocese de Erexim, e hoje continuamos nessa caminhada inserido no cursilho jovem e Setor Juventude”, conta. Motivado pela fé e também pelo amor à Juventude, acredita que é um dever assumir a missão de batizado, doando um tempo para Deus. “Assim como um dia alguém ajudou na minha caminhada, eu me vejo na responsabilidade de dar continuidade a isso, não por uma obrigação, mas porque realmente gosto de estar a serviço da juventude, da igreja, do Reino de Deus”, declara.

Hoje, Rodrigo conta, também, com o apoio da noiva Larissa, na sua caminhada de evangelização, a qual conheceu em um grupo de jovens no ano de 2013.

Caminhar com eles e escutá-los é o caminho

“Por vezes, na sua maioria, olhamos os jovens de forma negativa, por exemplo, que os jovens não querem nada com nada, que a juventude está perdida. Precisamos tirar esses clichês do nosso vocabulário”, recorda o Pe Tiago Megier.

Segundo ele, a juventude quer sim e faz muito e tem um grande envolvimento, especialmente na Igreja, quando são motivados a participar e envolver-se nas diferentes atividades. O que muitas vezes falta, aponta ele, é o acompanhamento adequado por parte dos adultos, padres e leigos. “Os jovens têm energia, vontade e disposição. Mas necessitam de alguém que ajude a canalizar esta energia para um mesmo objetivo. O apelo é para os adultos, que possamos acompanhar”, afirma.

É preciso caminhar com os jovens, escutá-los e sentir as suas necessidades, as suas fragilidades e perceber os seus anseios. “Só assim caminhamos com e poderemos ajudar, se necessário for e essa é a proposta do sínodo dos Bispos, para qual estamos nos preparando, que pede para que escutemos os jovens, procurar entende-los e fazer com eles a caminhada”. 

Ainda sobre o Sínodo, o padre lembra que em preparação a este grande momento, os jovens são convidados a participar através de um questionário, opinando e compartilhando sua visão sobre a juventude na Igreja. Este questionário também, está disponível no site da Diocese de Cruz Alta www.diocesecruzalta.com.br.

Uma palavra para todos os jovens

Recordando as palavras do Papa Francisco na Missa de encerramento da JMJ 2013 no Rio de Janeiro, o Pe. Tiago deixa uma mensagem para todos os jovens: “Ide, sem medo, para servir. Ide, sem medo, para servir. Seguindo estas três palavras, vocês experimentarão que quem evangeliza é evangelizado, quem transmite a alegria da fé, recebe mais alegria. Queridos jovens, regressando às suas casas, não tenham medo de ser generosos com Cristo, de testemunhar o seu Evangelho. Na primeira leitura, quando Deus envia o profeta Jeremias, lhe dá o poder de «extirpar e destruir, devastar e derrubar, construir e plantar» (Jr 1,10). E assim é também para vocês. Levar o Evangelho é levar a força de Deus, para extirpar e destruir o mal e a violência; para devastar e derrubar as barreiras do egoísmo, da intolerância e do ódio; para construir um mundo novo. Queridos jovens, Jesus Cristo conta com vocês! A Igreja conta com vocês! O Papa conta com vocês! Que Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe, lhes acompanhe sempre com a sua ternura: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações. Amém.”


OUVIR A JUVENTUDE

O Papa Francisco lançou a carta aos jovens para apresentar este Documento Preparatório ao sínodo sobre juventude. Esta é a oportunidade de participação e envolvimento neste processo de reflexão. 

A finalidade deste questionário é ajudar os grupos e as juventudes a expressar suas compreensões sobre a sua vida, sua visão de Igreja e sua experiência de discernimento vocacional, tendo em vista a coleta de elementos para a redação do Documento de trabalho, ou Instrumentum laboris. O questionário está disponível em nosso site: www.diocesecruzalta.com.br


Por Greice Pozzatto/Jornalista – Assessora de Comunicação Diocese de Cruz Alta/Pascom


Publicada em 28/07/2017 às 12:10:21

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920